Pinturas em óleo

e cera de abelha

“Em meus trabalhos tenho explorado a pintura como paisagem e lugares imaginários. As ideias surgem a partir de memórias afetivas, como fragmentos da minha essência enquanto forma e cor.

 

Neste contexto, construo pinturas com um movimento próprio, tanto no rastro da pincelada como nas figuras que dançam no espaço, fazendo o outro mergulhar em meus campos cromáticos. Esses territórios de cor são narrativas que convidam o público a pensar a partir de uma perspectiva ampliada, levando aos detalhes mais sutis.

O uso da tinta com a cera de abelha cria uma densidade mais espessa, na tentativa de despertar no espectador outros sentidos. A intenção é criar uma relação entre a figura que parte do meu imaginário e o que essa representação reflete em quem a observa.”